Verbete

Voltar

Museu da Imprensa

O equipamento cultural guarda, conserva, expõe e preserva a memória da Imprensa Nacional e da imprensa brasileira, desde sua inauguração em 13 de maio de 1988, na administração da então Diretora-Geral, Dinorá Moraes Ferreira, e do Ministro da Justiça, Ibrahim Abi-Ackel. Plantado nos jardins da Imprensa Nacional, seu prédio possui 680 metros quadrados, onde se encontram cerca de 550 peças e documentos raros, e alguns únicos, como é o caso do primeiro clichê produzido no Brasil, a Planta da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, de 1808, a mais antiga do acervo.

O Museu recebe visitantes do Brasil e do exterior, atraídos por peças de inestimável valor histórico como o Prelo Machado de Assis, de origem inglesa, fabricado em 1833. Destacam-se duas rotativas Marinoni, de origem francesa: a Leopoldo de Bulhões, de 1904, e a Vicente Ráo, que imprimiu o primeiro Diário Oficial em Brasília, em 1960. Há, também, o Teclado Perfurador Monotipo Joana França Stockemeyer, no qual trabalhou a primeira mulher a ingressar no serviço público no Brasil em 1892. E, ainda, outros instrumentos utilizados em artes gráficas, a exemplo de brasões, florões, mobiliários, quadros. Diários oficiais históricos completam o acervo — o de 14 de maio de 1888, que publicou a Lei nº 3.353, de 13 de maio daquele ano, declarando extinta a escravidão no Brasil, e o de 16 de novembro de 1889, que publicou a Proclamação da República.

O Museu da Imprensa orgulha-se em realizar, desde 1996, o Concurso Nacional Museu da Imprensa de Desenho e Redação, ora em sua 20ª edição (lincar). O Museu funciona no Setor de Indústrias Gráficas, Quadra 6, Lote  800, telefone: (61) 3441 9618, e-mail: museudaimprensa@in.gov.br. A sua página eletrônica está disponibilizada no endereço: http://www.in.gov.br/museu-da-imprensa, registrando crescentes visitações de internautas.

(Rubens Cavalcante Júnior).