Notícias da Imprensa Nacional

MODERNIZAÇÃO

DOU publicou 253 edições extras nos cinco primeiros meses de 2020

Publicado: 05/06/2020 09:20:00
Todas as edições do DOU são publicadas no portal da IN

Todas as edições do DOU são publicadas no portal da IN

Volume é reflexo da reestruturação do governo e pandemia de Covid-19, e só foi possível de ser processado devido às inovações digitais da IN implementadas nos últimos anos

O Diário Oficial da União (DOU) bateu recorde de edições extras, noticiou o site Metrópoles, dia 2. Entre 1º de janeiro e a última terça-feira, a Imprensa Nacional (IN) publicou 253 edições extras, o que dá uma média de 1,6 por dia. Nesse ritmo, em 31 de dezembro, terão sido publicadas 506 edições extraordinárias, contra 334 em 2019. Se esses números se confirmarem, será observado um crescimento de mais de 51%.

Frente a esse incremento de edições adicionais, cabe ressaltar que, desde dezembro de 2017, elas são apenas digitais, evitando as despesas com as máquinas impressoras, papel, tinta e distribuição, sem contar a quase inviabilidade técnica de se acionar a rotativa diversas vezes ao longo do dia.

Desde 16 de março de 2020, todas as edições do DOU, inclusive as extras são disponibilizadas no aplicativo do Diário Oficial, disponível para Android e IOS, nas respectivas lojas. O aplicativo já tem mais de 80 mil downloads. Por intermédio dessa ferramenta, é possível não apenas consultar a íntegra das publicações regulares, mas, também, receber notificações para cada edição extra, o que facilita – e muito – o trabalho de quem, por interesse ou dever de ofício, precisa acompanhar a publicação de atos oficiais.

App permite acompanhamento das edições extras e regulares bem como consulta a números anteriores

A reportagem do Metrópoles informa, ainda, que, das 253 edições extras, 146 (57%) foram publicadas na Seção 1, dedicada a novas leis e a normativos e orientações dos ministérios, como as relativas às atividades consideradas essenciais, frente à pandemia de Covid-19. As demais foram dedicadas a atos de pessoal (posses e exonerações, por exemplo) e a contratos e editais.

 

Gráfico com a evolução do número de edições extras de 2010 a junho de 2020 – Fonte: Metrópoles​​​​​​​

Segundo o Diretor-Geral, Pedro Bertone, a expansão no número de edições extras demonstra uma tendência no Brasil e no mundo, num contexto de “governo digital”, de dar publicidade e efeitos cada vez mais imediatos aos atos oficiais. “Estamos cientes de que este é um caminho irreversível e nos compete reestruturar nossas práticas e processos para fazer frente a estes novos desafios. A Imprensa Nacional, capitaneada pela área de modernização da Secretaria-Geral, vem estudando mecanismos que possam garantir essa agilidade “pós-tabloide”, inclusive com a possibilidade de indexação e certificação ato a ato. Será o caminho natural em um futuro próximo.”, ponderou.